domingo, 15 de março de 2015

CORDEL da Educação Estatística da alfabetização matemática

CORDEL da Educação Estatística da alfabetização matemática
1-É chegado o momento
 De a estatística abordar
Na história da matemática
Não pode deixar de falar.
xxxxxx
2-As características dos dados
É preciso estudar
Escolhendo os critérios
Que irá utilizar
E nos gráficos e tabelas
Irá evidenciar.
xxxxxxxxx
3-Muito aprendemos no Pacto
Mas só um pouquinho, vamos lhes mostrar
Com um cordel matemático
Iremos contar
xxxxxxx
4-Conheça um pouco de história
Que agora vamos contar
A matemática surgiu
Da antiguidade para cá.
xxxxx
5-Desde o início da humanidade.
 Para se organizar
O homem aprendeu que Precisava
Um gráfico montar.
xxxx
6-o tamanho dos pedaços
Criança tem que comparar
O ângulo central corresponde
A freqüência que desejar.
Xxxxx
7-No ciclo de alfabetização
 A construção pode iniciar
E assim, representar:
Garrafa peti, tampinhas, fósforos
Materiais recicláveis
Fáceis de manipular
Xxxxxx
8-Lá vem a permutação
Parece complicação;
Seguida da ordenação;
Que gera combinação;
E produto cartesiano
Pra aumentar a confusão.



9-Dos números naturais
O zero é menor valor
Diferente dos demais
É o único sem antecessor.
xxxxxx
10-Ao ensinar matemática
Seja justo e sincero
Mostre que é impossível
Uma divisão por zero.
xxxxxx
11-Pra melhor representar
Os problemas combinatórios
Em diferentes estratégias
Vai o aluno ajudar.
Xxxxxxx
12-De jeito organizado
De modo sintetizado
Listar as possibilidades
Dos métodos adotados  
 Fixando os elementos
Dos dados apresentados.









13-Apesar de não ser possível
Determinar com certeza
O resultado obtido.
É preciso que a criança
 Compreenda o sentido
Do problema resolvido.
Xxxxxxx
14-Os direitos de aprendizagem
Precisam ser compreendidos
Pra que na probabilidade
Não possa ser confundido.
Xxxxx
15-Noções de por acaso
Dará bons resultados
Se o professor embutir
Evento menos provável,
Como sorteio de ajudante
E o nome ali sorteado.
Xxxxxx








16-Não existe dificuldade
Para quem quer ensinar
No mundo da matemática
Venho aqui  relacionar
Informações necessárias
Para no dia a dia aplicar
Devagar se vai ao longe
O importante é complementar.
xxxxxx
17- Nos gráficos de barra
É fundamental:
nome dos eixos escala,
Titulo e fonte colocar.
XXXXXX
18-Sem nada mais pra dizer
Peço desculpa a vocês
Se não pude dizer tudo
Nada mais posso fazer
Pois matemática é assim
Tem sempre o que se aprender





Ana Maria de Jesus.





quarta-feira, 11 de março de 2015

SEQUÊNCIA DIDÁTICA de Educação Especial/Inclusiva com a fábula de ESOPO: o urso e a raposa. Para o 4º ano.

SEQUÊNCIA DIDÁTICA de Educação Especial/Inclusiva com a fábula de ESOPO: o urso e a raposa. Para o 4º ano.
1-    Fazer a leitura para os alunos.
2-    Questionar sobre as partes que compõem o texto
Quem disse que gostava dos homens?
O urso mata os homens e como ele diz que gosta dos homens?
Resposta esperada: ele gosta para comer.
Qual o sentido da palavra “gosta” nesse texto?
Quem disse que o urso come os homens vivos?
O urso é um animal selvagem? Ou doméstico?
Do que os ursos se alimentam?
Resposta esperada?
Peixes (salmão [nos rios dos países onde os ursos habitam: as florestas geladas), mel de abelha.
3 – Durante todo o inverno os ursos hibernam, ou seja, ficam dormindo nas cavernas até a entrada da primavera, quando saem para se alimentar...
Nesse momento deixar que os alunos questionem e exponha as suas ideias.
4º momento
Recontar a história.
Qual a moral da história?
5º momento
Recortar o texto junto com o aluno que apresenta sintomas de autismo. E os
Alunos que mesmo no 4º ano ainda estão em fase de alfabetização.
Solicitar que eles reorganizem o texto à medida que a professora for ditando as palavras.
A partir daí, toda a turma deverá acompanhar copiando a atividade no caderno.
O urso e a raposa
 Um urso passava o tempo contando como gostava dos homens.
- não vou lá perturbar nem estraçalhar os homens. Quando eles morrem. Disse ele.
A raposa respondeu com um sorriso;
- Eu ia ficar mais convencida de sua bondade se você não costumasse comer os homens vivos!

Moral: Mais vale ter pena dos vivos que respeito pelos mortos. (Esopo)

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

projeto de pesquisa monografia

Projeto de pesquisa
CURSO: ESPECIALIZAÇÃOEM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
ORIENTADORA: REGIVÂNIA MARA DOS REIS FONSECA
1-  TEMA:
Gestão escolar versus inclusão.
2-DELIMITAÇÃO DO TEMA E SUA RELEVÂNCIA.
§  Família: eixo gerador das dificuldades de aprendizagem;
§  Formação continuada do (a) professore (a)s;
§  Políticas públicas de educação especial inclusiva;
§  Gestão escolar: Aportes nas adequações curriculares inclusivas
4- OBJETIVO
4.1- OBJETIVO GERAL:
Ampliar conhecimentos, bem como possibilitar o esclarecimento de práticas subjugadas inclusivas, tal qual considerar as demandas contemplando a atenção diferenciada  e a reinserção do individuo com necessidade educacional especial.
4.2- OBJETIVOS ESPECÍFICOS
óInvestigar a ação de gestores escolares mediante as políticas públicas voltadas para a inclusão no contexto escolar;
óEnfatizar a necessidade de uma educação holística;
óBuscar subsídios fundamentais a sincronização entre as políticas públicas de inclusão social e a comunidade escolar.
7- METODOLOGIA
Pesquisa de campo aliada as experiências vivenciadas, assim como pesquisa bibliográfica.
8- INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
Artigos, revistas, sites, livros, entrevista, constituição Federal.
9. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Maria Lúcia Dantas de Oliveira
Perrenoud1996
Michel Mazern(1995, p.2)
Bíblia sagrada edição pastoral capitulo,  L v. 21,16-24.

Maria Tereza Englér Mantoan

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

construir: processo de assimilação pela criança

A criança assimila melhor quando constrói seu próprio conhecimento, através de atividades desafiadoras.
Atividades que leva a criança a construir e desconstruir possibilita tanto a professora , como a criança momentos únicos de grande importância.
  nada é mais satisfatório quando a criança descobre que ela é capaz de produzir: brinquedos, flores, instrumentos musicais


: Valorização do eu e do outro

TEMA:ó Valorização do eu e do outro
TEMPO ESTIMADOó 20horas/aulas
EIXOS ónúmeros e operações;
Geometria;
Grandezas e medidas;
Tratamento da informação;
Leitura;
Produção de textos escritos;
Oralidade;
Discursividade;
Textualidade;
Apropriação do sistema de escrita alfabética.
COMPONENTES CURRICULARES<=>J
Língua portuguesa;
História;
Geografia;
Ciências;
Matemática.
CONTEÚDOS J   
 Agrupamento;
Sistema de numeração decimal;
Registro de quantidade até 99;
Juntar quantidades iguais;
Estudando a escrita;
Travessão;
Letra inicial;
Silabação;
Adição; subtração;
Divisão e multiplicação.
MATERIAL NECESSÁRIOóJ
Cola líquida papel higiênico, água; tinta guache nas cores primárias.
AVALIAÇÃOóJ
Considerando as dificuldades de aprendizagem e os aspectos  psicopedagógicos e os demais aspectos de forma geral contribuí para o desenvolvimento cognitivo do alfabetizando, a avaliação funcionará como subsidio para a elaboração de uma prática em sala de aula que possa sanar as dificuldades de aprendizagem  e melhorar o ensino do letramento e alfabetização tanto em matemática como em língua portuguesa, salientando os demais componentes curriculares como sendo de relevância no contexto da interdisciplinaridade.
ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS:
MOMENTO DELEITA:
Colocar os alunos em círculos e cantar  junto com o alfabetizando  acompanhando os gestos da música: fui à feira (Eliana).
ó Transcrever a lista de material necessário para fazer papel marchê,
Lista de matéria:
1 rolo de papel higiênico;
1 cola liquida de 90g;
1 copo de 250ml de água;
Modo de fazer
Em uma bacia, junta todos os ingredientes e amassa até obter uma massa homogenia.
Fazer leitura jogralizada;
Leitura individual;
Leitura com estratégia de interferência;
Leitura de reflexão;
 Como é comprado o papel? Em metro ou em quilo?
Como é medida a água?
O que significa a sigla ml?
Qual a unidade de medida dos líquidos em geral?
Quantas gramas têm a cola? E para 1 quilograma quanto falta? Qual a a abreviatura da palavra quilograma?
Intervenção: professora porque se escreve com K? É CA de casa?
3º confeccionar as frutas com o papel marche.
4º problematizar
Quantas frutas foram confeccionadas?
Resposta do aluno: 20
Professora: Por quê?
Resposta do aluno: por que tem 20 alunos na sala.
Mas 1 dos alunos não quis fazer, então quantas frutas tem feita?
Resposta do aluno: 19
Professora: Por quer?
Resposta do aluno: por que 20 menos 1 é igual a dezenove.
Professora: correto; E se sugestionar outros números para que os alfabetizando possam  impulsionar o raciocínio lógico?
5º problematizar matematicamente
Fui a feira comprei : 1 kg de uva,1dúzia de maçã; ½ dúzia de banana;
Quantas dúzias de frutas têm na cesta?
Resposta esperada: 1,1/2 Dz.
6º Eryky pintou 3 laranjas de amarelo,3 de verde. Quantas laranjas  Eryky  tem?
E se Eryky  ganhar mais 6? Com quantas laranjas  fica. Dar  2   a colega da minha esquerda, quantas restam?
7º dinâmica da cadeira
Colocar as cadeiras em círculos com uma ou duas a menos que a quantidade de alunos.
Solicitar que girem em torno das cadeiras e se sentarem quando o comando for dado.
O comando é:
Fui à feira compreiL (dizer nome de frutas e legumes ..) .
Subi a ladeira.
A ladeira estava escorregando eu escorreguei e áaaaaaaaaa, cesta virou! ( neste momento todos deverão procurar uma cadeira para se sentar, o aluno que ficar de fora sai da brincadeira.
Problematização: tinha dezenove alunos, 2 ficaram de fora da brincadeira, quantas cadeiras tem no círculo?
 Para que todos pudessem se sentar, quantas cadeiras deveriam estar no círculo?   
8º colocar o preço das frutas e legumes e o nome.
 Registrar no caderno.
Quanto custa:
 Como é comprado o produto:
Se no metro , no quilo, ou no litro.
No caso das bananas foram confeccionadas apenas 7 .
Só há 7 bananas para 1 dúzia quantas faltam?
E para meia ficar só meia dúzia?
Meia dúzia mais meia dúzia é ig








  

sequência didática de matemática: literatura: pés na areia

Pés na areia: contando de dez em dez
O sol da manhã brilha na praia ainda vazia.
Dez dedos sobem a escada até a cadeira do salva- vidas.
Vinte dedos passam pelas ondas do mar.
Trinta dedos correm pela areia quente. L
Quarenta dedos andam pelas docas.
Cinqüenta dedos mergulham na água.
Sessenta dedos surfam nas ondas.
Setenta dedos fazem fila no carrinho de sorvete.
Oitenta dedos jogam vôlei na areia.
Noventa dedos se encontram perto de um castelo de areia.
Cem dedos se esquentam em volta de uma fogueira.
Professora: Ana Maria de Jesus. Pedagoga pós- graduanda em educação especial inclusiva, alfabetizadora popular, atuando na escola pública municipal Djalma Faria de Oliveira. Rio Real - Bahia PACTO (todos pela alfabetização na idade certa). J

Série/ano: 2º do ensino fundamental I.
 TEMA: como não gostar de matemática
ó EIXOS:
Leitura;
Oralidade;
Discursividade;
Textualidade e normatividade;
Números e operações;
Grandezas e medidas;
Tratamento da informação.
Componentes curriculares:
Língua portuguesa; matemática; história;
Geografia; ciências.
Conteúdos:
Agrupamento;
Sistema de numeração decimal;
Registro de quantidades até cem (100);
Juntar quantidades iguais;
Cuidados com a pele;
Ortografia;
Palavra dentro de palavra;
Sinais de pontuação;
Higiene dos pés;
Preservação ambiental;
Diferentes jeitos de viver.
ó GARANTIAS DE APRENDIZAGEM J
Participar de interações orais;
Reconhecer a diversidade linguística;
Analisar a adequação de um texto;
Oportunizar momentos de reflexão sobre a formação das palavras;
Relacionar a matemática ao cotidiano da criança;
óAVALIAÇÃO
Em um processo sistemático, contínuo e processual, a avaliação será efetuada de modo que cada educando seja avaliado individualmente de acordo com as necessidades educacionais respeitando os conhecimentos prévios, bem como os que precisam ser acoplados e  registrados.
ó FLEXIBILIDADE:
Utilizar palitos, tampas de garrafa, gudes, pedrinhas  para fazer a relação das quantidades mencionadas no livro.
ó ADAPTAÇÃO CURRICULAR
Utilizar pequenos bonecos em uma maquete com areia representando a praia.

Será contemplado, tanto o principio aditivo, como o principio multiplicativo, bem como a subtração e a divisão.
ó AÇÕES METODOLÓGICAS
1-    ó MOMENTO DELEITE
Apresentar o livro para os alfabetizando solicitando a eles que façam uma leitura prévia das  ilustrações;
-o que vocês estão vendo?
- que ambiente é este?
- o que mais aparece nas imagens?
- O que a criança tem no ombro?
2-ó MOMENTO
Fazer a leitura da literatura fazendo pausas para que os alfabetizando interajam com a professora e tentem completar a frase.
Exemplo: vinte dedos passam pelas... Deixe que eles completem a frase.
Caso não consigam prossiga dizendo:
-Onde é que tem onda?
Resposta esperada:
-No mar.
3-ó MOMENTO
A professora questiona:
-Quem escreveu o livro?
- quem ilustrou?
-quem brilha na praia ainda vazia?
                -quem sobe a cadeira do salva – vidas.
                - Quem passa pelas ondas do mar?
Resposta esperada: os dedos?
- quantos dedos?
-10(dez)
-quantas pessoas?
- 1(uma)
- quantos dedos passam pelas ondas do mar?
-20(vinte)
-quantas pessoas?
-2(duas) 
E assim sucessivamente.
É época de férias e o sol está brilhando. a turma toda vai a praia se divertir . Quantos dedos dos pés vão afundar na areia.
ó 4-MOMENTO
Transcrever o texto.
Destacar as sílabas que irá gerar outras palavras;
Exemplo: qua= quatro, cin= cinco
Localizar os numerais identificando a escrita alfabética.
ó 5- MOMENTO
Escrever os numerais de 10 em 10 até cem.
Neste momento a professora observará quem já consegue fazer sozinho e quem ainda apresenta alguma dificuldade.
ó MEDIDA INTERVENTIVA:
- enho dez dedos.
-Junto mais dez.
-Quantos dedos têm?
ó OBSERVAÇÃO: mostrar tantos os dedos como objetos que possam ser manipulados pelas crianças.
6- MOMENTO
Solicitar aos alfabetizando que ilustrem o texto.
ó 7- MOMENTO
Reescrever o texto da maneira deles, como eles imaginam os pés andando na praia.
E montar um painel na sala.
ó 8- MOMENTO
Tarefa xerografa com todas as perguntas feitas anteriormente distribuídas em:
Separação de silabas;
Acróstico;
Caça- palavras;
Labirinto;
Pictografia;
ó MEDIDAS INTERVENTIVAS:
Quando formos à praia ou rios não devemos jogar lixo na areia e principalmente na água.
Porque polui a água e os peixes podem comer, adoecer e morrer.

ó REFERÊNCIAS


DAHL, Michael ,Pés na areia: contando de dez em dez:/  ilustrações de:TROVE ,Zachary.- São Paulo:Ed: Meca, 2011.24 p. Il .